World Council of Churches

O Conselho Mundial de Igrejas é uma comunhão global que busca a unidade, o testemunho comum e o serviço.

Você está aqui: Entrada / Novidades / Auto-compreensão cristã no contexto das religiões indígenas

Auto-compreensão cristã no contexto das religiões indígenas

2012-02-15

Com a participação de pessoas vindas de várias regiões do mundo, o Conselho Mundial de Igrejas (CMI) realizou uma consulta sobre a auto-compreensão cristã no contexto das tradições espirituais indígenas. O encontro foi organizado pelo programa de diálogo e cooperação inter-religiosa do CMI em colaboração com o Conselho Latino-Americano de Igrejas (CLAI) e da Federação das Igrejas Evangélica Argentina (FAIE), entre os dias 6 e 9 de fevereiro, em Buenos Aires, Argentina.

O evento reuniu 12 participantes vindos de igrejas e grupos indígenas da Argentina, Bolívia, Brasil, Canadá, Equador, Filipinas, Guatemala e Nova Zelândia.

Parte das discussões giraram em torno do documento sobre pluralidade religiosa e auto-compreensão cristã, produzido pelo CMI em 2004. O documento traz uma reflexão acerca da identidade cristã no mundo moderno marcado pelo pluralismo religioso. O processo de reflexão teve consultas intra-cristãs que trataram, respectivamente, da relação do cristianismo e o judaísmo, o islamismo, o hinduísmo e o budismo.

O encontro em Buenos Aires, que também teve caráter intra-cristão, explorou a perspectiva de algumas tradições espirituais indígenas.

Considerou-se importante que a perspectiva dos povos indígenas também seja levada em conta neste processo que busca sistematizar a imagem de auto-compreensão cristã em contextos de pluralidade religiosa, pois estes povos oferecem abordagens significativas sobre a vida e as relações entre os seres humanos e criação.

A busca pela "verdade"

"Nenhuma cultura pode conceber Deus como um todo", disse Miguel Salanic, coordenador da missão entre povos indígenas no CLAI. "Todo mundo conhece uma parte de Deus. É reunindo pessoas de diversas crenças que se pode ter acesso à verdade de Deus", disse ele.

Salanic explicou que a religião tradicional maia entende Deus como o ser superior. "A compreensão abrange sempre dois lados da realidade: masculino e feminino, noite e dia, vida e morte, luz e escuridão. Portanto, Deus é pai, mãe, mulher, homem, espírito e carne. E todos estes elementos estão interligados", concluiu.

O Bispo Alexander Wandag, do Conselho Nacional de Igrejas das Filipinas, disse que recebeu respostas desafiadoras de povos indígenas de seu país quando lhes perguntou acerca das contribuições que ele poderia trazer para o encontro na Argentina. Entre as respostas, surgiu o pedido para que os cristãos se arrependam dos pecados que as igrejas e seus membros já cometeram contra os povos indígenas.

Esta notícia é uma adaptação do texto original produzido por Enrique Zerbin, da Agencia Latinoamericana & Caribeña de Comunicación - ALC

Leia também:

O documento final do encontro (em inglês)

Solidariedade com os Povos Indígenas (em inglês)

Auto-entendimento cristão em meio a muitas religiões (em inglês)

Programa do CMI para o diálogo e cooperação inter-religiosa

(em inglês)