World Council of Churches

O Conselho Mundial de Igrejas é uma comunhão global que busca a unidade, o testemunho comum e o serviço.

You are here: Home / Novidades / CMI celebra a vida e o testemunho de Philip Potter

CMI celebra a vida e o testemunho de Philip Potter

CMI celebra a vida e o testemunho de Philip Potter

Philip Potter durante reunião do Comitê Central do CMI em Genebra, Suíça, em fevereiro de 1966.

31 March 2015

English version published on: 01 April 2015

O Conselho Mundial de Igrejas (CMI) ofereceu ofereceu tributo especial ao Rev. Dr. Philip Potter, seu terceiro secretário geral, que desempenhou a função entre 1972 e 1984. Potter foi um líder ecumênico mundial, reconhecido pelo acompanhamento a igrejas ao redor do mundo em seus processos de busca por unidade, justiça e paz. Ele faleceu no dia 31 de março em Lübeck, Alemanha.

Nascido em Roseau, Dominica, em 19 de agosto de 1921, Potter iniciou seu envolvimento ecumênico como parte do movimento estudantil cristão do Caribe. Ele foi representante jovem nas duas primeiras assembleias do CMI em Amsterdam (1948) e Evanston (1954).

Ele foi a primeira pessoa dos novos países independentes do mundo a ser eleito secretário geral do CMI. Entre as conquistas mais memoráveis do CMI sob a liderança de Potter estão o consenso teológico em torno de Batismo, Eucaristia e Ministério e a continuação de uma corajosa campanha contra o apartheid na África do Sul e contra outras formas de racismo ao redor do mundo.

"Quase todas as pessoas que conheço que têm uma imagem ou opinião forte sobre o Conselho Mundial de Igrejas ligam isto a Philip Potter. Primeiro, como jovem delegado em conferências e assembleias, depois como funcionário e, finalmente, como secretário geral, Philip sempre trouxe grande visibilidade ao Conselho", disse o Rev. Dr. Olav Fykse Tveit, secretário geral do CMI.

"Ele estava sempre pronto a abrir debates, a oferecer o CMI como um espaço aberto para a reflexão a ação ecumênicas e compartilhar suas posições pessoais. Philip Potter será lembrado, como sempre, por seu testemunho fiel à visão do Reino de Deus e seus valores verdadeiros de paz justa e alegria no espírito (Romanos 14:17b)", disse Tveit.

"Damos graças a Deus pelo testemunho de Philip", acrescentou.

Potter deu contribuições valiosas ao debate vigoroso acerca da natureza da missão e evangelização pós-colonial, do testemunho das igrejas por paz em meio às tensões do Oriente Médio, as crescentes questões em torno da crise ecológica e o apoio a campanhas que desafiavam a ameaça da aniquilação nuclear. Naquela época, o CMI também apoiou o desenvolvimento de novas formas de espiritualidade, oração comum e musicalidade nas diversas tradições e confissões de muitas igrejas.

Antes de juntar-se ao CMI, Potter foi funcionário da Sociedade Missionária Metodista, em Londres. Ele representou o Movimento Estudantil Cristão da Jamaica na Conferência Mundial sobre Juventude Cristã, em 1947, em Oslo, Noruega. Potter foi um participante ativo em cada assembleia do CMI desde 1948 até a 9a assembleia em Porto Alegre, Brasil (2006).

Em Genebra, Potter também liderou a diretoria da Federação Universal de Movimentos Estudantis Cristãos (FUMEC).

Ele deixa uma viúva, a Bispa-emérita Bärbel Wartenberg-Potter, da Igreja Protestante na Alemanha (EKD). Sua primeira mulher, a música e compositora Doreen Potter, faleceu em 1980.

Leia a íntegra do tributo do secretário feral do CMI a Philip Potter

"At Home with God and in the World: A Philip Potter Reader"

Tributos a Philip Potter (tirados do livro "At Home with God and in the World")