World Council of Churches

O Conselho Mundial de Igrejas é uma comunhão global que busca a unidade, o testemunho comum e o serviço.

You are here: Home / Novidades / Peregrinos da justiça climática planejam causar impacto na COP 21 em Paris

Peregrinos da justiça climática planejam causar impacto na COP 21 em Paris

23 January 2015

English version published on: 27 January 2015

Milhares de pessoas planejam participar em diversas partes do mundo, a pé ou de bicicleta, de uma peregrinação em prol da justiça climática.

Os milhares de peregrinos, inspirados por suas convicções religiosas, querem expressar solidariedade com os afetados pelas mudanças climáticas e pedir aos líderes mundiais que produzam um mecanismo legal eficaz e universal acerca do clima na próxima Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP21), em Paris.

Estes peregrinos, principalmente da Europa e da África, estão sendo  mobilizados por organizações cristãs que representam igrejas-membro do Conselho Mundial de Igrejas (CMI). Alguns vão terminar a sua viagem em Paris, unindo suas vozes a outros representantes de religiões na COP 21, a ser realizada de 30 de novembro a 11 de dezembro de 2015.

"Paris é um marco na nossa peregrinação de justiça climática", disse o Dr. Guillermo Kerber, coordenador do programa do CMI para o Cuidado com a Criação e Justiça Climática. "No entanto, Paris não é um destino. Como pessoas de fé, que devem oferecer uma bússola moral para o diálogo sobre o clima, precisamos criar estratégias para 2016 e além", disse ele.

Kerber falou durante uma reunião preparatória para a COP 21, promovida por organizações ecumênicas, no dia 22 de janeiro, em Genebra, Suíça. O conceito de "peregrinação de justiça e paz" é uma visão promovida pela X Assembléia do CMI e a justiça climática é um componente significativo desta visão.

Na esteira de pedidos por justiça climática feitos por líderes religiosos, como o Patriarca Bartolomeu de Constantinopla e o Papa Francisco, da Igreja Católica Romana, o CMI está planejando trazer fortes vozes de comunidades religiosas que exijam um tratado justo, ambicioso e juridicamente vinculativo em Paris, disse Kerber.

Na África os "peregrinos da justiça climática" estão planejando atravessar fronteiras a pé e de bicicleta, sensibilizando as pessoas sobre o impacto das alterações climáticas. Patriciah Akullo, de ACT Aliança, organização parceira do CMI, compartilhou informações sobre a campanha promovida por sua organização por justiça climática, que é implementada em torno da COP 21 e com enfoque na África. Ela disse que, após a passagem das fronteiras entre a África do Sul, Uganda e Burundi, entre outros países, o destino final dos peregrinos será Nairobi.

Espera-se também que algumas celebridades juntem suas vozes à campanha, como o arcebispo Desmond Tutu e o presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, ao lado de outras pessoas das áreas de esporte, cultura e música.

"A Peregrinação rumo à COP 21 é uma peregrinação de justiça e de paz para as pessoas e para a Terra", disse Isaiah Toroitich, que trabalha na campanha 'Aja Agora pela Justiça Climática'. "Como pessoas de fé, esperamos falar numa só voz em Paris e demonstrar nossa solidariedade com as pessoas afetadas pelas mudanças climáticas", disse.

Thomas Hirsch, da organização alemã Pão para o Mundo, disse que, como pessoas de fé, "estamos unidos na nossa diversidade através de nossos esforços e nossos pedidos de justiça climática a serem ouvidos na COP 21". O planejamento das iniciativas das igrejas, organizações ecumênicas e seus parceiros de fé foram chamados de "motivadores" por Hirsch. No entanto, ele disse que o momentum desses esforços pode ser perdido se a COP 21 não produzir nada de concreto".

As seguintes organizações fizeram parte da reunião preparatória em Genebra: ACT Aliança, a Conferência de Igrejas da Europa, Norwegian Church Aid, MISEREOR, Green Pilgrimage Network, Bread for the World, The Lutheran World Federation, Christian Aid, Secours Catholique, CIDSE e CCFD-Terre Solidaire.

A peregrinação de justiça e paz do CMI

O trabalho do CMI por justiça climática e cuidado com a criação